Revista PROGRAMAR nº 49 — Junho 2015

Três meses depois, a Revista PROGRAMAR está de volta com mais uma edição.  Desta vez como tema de capa temos um artigo sobre as novidades do ASP.NET 5, de Ricardo Peres.  Adicionalmente, poderá encontrar um amplo conjunto de artigos sobre temas que vão desde a manipulação de documentos Office de forma programática, ao desenvolvimento de aplicações móveis com a plataforma Xamarin:

Clique aqui para fazer o download desta edição!

Continuaremos também a premiar os autores dos três melhores artigos, dado o sucesso nas edições anteriores. E os leitores devem dar a sua opinião para que possamos premiar correctamente. Para isso vote em http://bit.do/ProgramarED49_V.

Revolvendo

Há 63 anos atrás, um brilhante engenheiro electrotécnico inglês supervisionou a montagem do primeiro circuito integrado. Estamos a falar de G. W. A. Dummer, que propôs o conceito de circuito integrado, recorrendo à fabricação de vários componentes electrónicos de um circuito, num único bloco de material semicondutor. Passados estes anos, não “vivemos” sem a tecnologia, que assenta nesse mesmo conceito! Revolucionário na altura, facilitou uma série de inovações que agora damos por garantidas, no nosso dia a dia, desde o simples relógio digital, até ao moderno computador, sem esquecer aquele “gadget” que tanta gente tem fascinado, dado pelo nome de Raspberry Pi, que não mais é do que um computador numa só placa de circuito!

Sempre me disseram que o mundo “dá voltas e mais voltas”, numa “revolução constante” e a tecnologia, dá as voltas com ainda mais rapidez, do que aquela que seria expectada!

Continuar a ler

Criando arquivos Office com OpenXML SDK

Introdução

Uma maneira muito comum de introduzir flexibilidade para nossas aplicações é exportar os dados para arquivos Office: ao exportar para o Word, podemos gerar relatórios poderosos, onde o usuário pode formatar os dados da maneira desejada, editar ou remover partes dos dados, ou mesmo complementar com dados de diversas fontes. Exportando para o Excel, podemos criar rapidamente análises diversas, elaborar gráficos ou fazer comparações facilmente.

Uma maneira de exportar os dados para arquivos Office é usar a automação Office, que usa os recursos de automação COM para abrir o programa e gerar os arquivos a partir de nossos dados. Isso, além de muito lento, traz uma segunda desvantagem: obriga que a máquina que está rodando a aplicação tenha o Office instalado.

Continuar a ler

Criar uma API no Azure App Sevice

Introdução

No mês de Março, a Microsoft anunciou uma alteração à sua oferta de serviços introduzindo o novo Azure App Service. Este serviço agrega os “antigos” Websites, agora com o nome Web Apps, os Azure Mobile Services, agora Mobile Apps, e introduz novas capacidades como as Logic Apps e as API Apps. É sobre estas últimas que se foca este artigo.
A questão que se coloca é: Qual o motivo para criar uma API App e não uma Web API num Website? Esta questão pode ser facilmente respondida vendo a lista das funcionalidades disponibilizadas, como por exemplo:

  • Controlo de acesso por recurso à Azure Active Directory ou serviços OAuth, como Facebook ou Twitter;
  • Integração rápida com a Framework Swagger;
  • Integração fácil com as Logic Apps;
  • Galeria privada de APIs que permite disponibilizar as APIs a outros membros da organização;
  • Geração automática de um SDK para a nossa API;

Neste artigo vamos ver como implementar uma API, publicá-la na nossa subscrição e criar um SDK para consumir a mesma.

Continuar a ler

Primeiros passos no desenvolvimento de aplicações Android

Aprenda os primeiros passos para iniciar o desenvolvimento de aplicações para a plataforma móvel líder do mercado. Neste artigo será abordada desde a instalação e configuração do ambiente de desenvolvimento, até a construção e a execução de um projeto em um dispositivo virtual. Por fim, exportaremos o .apk deste projeto para que possa ser executado em dispositivos reais com o Android instalado.

Continuar a ler

Introdução à Arquitectura SAP com foco em SAP-1

De acordo com Malvino [1] (p. 255) o computador SAP (Simples-Quanto-Possível = Simple-As-Possible) foi projetado com o objetivo de apresentar de forma lúdica a estrutura operacional de um computador eletrônico moderno, de maneira que fique mais simples abstrair a concepção usada nos computadores eletrônicos mais modernos. Por mais estranho que possa parecer, muitos professores que atuam sobre a temática da disciplina relacionada a arquitetura e organização de computadores não fazem uso deste recurso ocasionando verdadeiro martírio para os alunos.

O uso do computador SAP pode facilitar o entendimento dos detalhes relacionados a organização de computadores e sua aplicação em linguagem de baixo nível.

Este artigo descreve brevemente a arquitetura SAP-1 e mostra duas aplicações exemplificando e utilizando-se sua linguagem de baixo nível.

Continuar a ler

Raiz enésima Iterativa Programada

Este artigo apresenta conceitos e código de demonstração de um  programa escrito em linguagem C++ que calcula e exibe no ecrã de forma iterativa o resultado de uma raiz enésima com base e índice informados para o cálculo.

Introdução

Um facto a ser considerado é que as ciências relacionadas a Matemática e a Computação andam juntas. Neste sentido, vem a mente como soluções matemáticas simples são implementadas na arquitetura de um computador. A questão não se refere a soluções relacionadas a parte eletrônica do computador, mas como são realizadas tais operações a luz da base Matemática.

Continuar a ler

Conexão de Arduino ao Unity

O mundo da tecnologia é motivado e “limitado” pela imaginação de cada um. Desta feita o artigo desta edição prende-se com a ligação de um micro-controlador Arduino ao conhecido Game Engine Unity.

O objetivo deste artigo é explicar como proceder à ligação de um micro-controlador Arduino ao Unity e usar este como uma espécie de “comando” para o jogo criado no Unity. Será um exemplo extremamente simples que resultará no controlo de um simples sprite no eixo do X sem qualquer animação especial.

Continuar a ler

Andon

Ando há anos a tentar vender a ideia, de que na automatização de pequenos processos industriais, é possível substituir os autómatos por pequenos microcontroladores, no meu caso o Arduino. As vantagens são suficientemente aliciantes para avançar com estes projectos :

  • Baixo custo do microcontrolador (Arduino, cerca de 40€)
  • Linguagem muito perto do C , com muitas librarias para os mais diversos fins.

O que vos mostro de seguida, é um processo industrial real, que uma equipa na qual eu participei construiu e pôs em funcionamento, com um orçamento inferior a 1000€.

Continuar a ler