Revista PROGRAMAR nº 43 — Dezembro 2013

Nesta edição continuaremos também a premiar os autores dos três melhores artigos, dado o sucesso nas edições anteriores. E os leitores devem dar a sua opinião para que possamos premiar correctamente. Para isso vote em http://tiny.cc/ProgramarED43_V

Assim nesta edição trazemos até si, como artigo de capa, um artigo sobre Interação com voz no Android: Aprenda a desenvolver um aplicativo com interação por voz no Android.

Nesta 43ª edição pode ainda encontrar os seguintes artigos:

«Out of sync»

Fora de Sincronismo… Com o Natal quase a chegar e com cheiro “sabor a Natal” já no ar, chegamos a mais uma edição da Revista PROGRAMAR.

Como tem vindo a ser “tradição” desde que escrevo os editoriais, escolho como titulo um código de erro e neste caso escolhi um genérico “out of sync”, por me parecer o mais adequado nesta altura em que tudo “parece estar fora de sincronismo”, desde o clima, até à tecnologia, com tantos lançamentos de novas tecnologias, consolas, updates de software, etc…
Continuar a ler

Interação com voz no Android: Aprenda a desenvolver um aplicativo com interação por voz no Android

Do que se trata no artigo: Este artigo demonstra os passos básicos para desenvolver um aplicativo que utiliza a interação por voz, posterior reconhecimento do que foi dito e com isso realizar uma determinada acção (no nosso exemplo, faremos uma simples mudança na interface).

Em que situação o tema é útil: Será útil para os programadores que desejem ter uma experiência inicial com a API de reconhecimento de voz.

Desenvolvendo aplicações para Android: A utilização de smartphones tem crescido no mundo todo, tendo como um dos principais sistemas operativos o Android, o qual conta com diversas aplicações para atrair novos utilizadores. Pensando nisso, a Google disponibilizou o Android SDK, uma plataforma gratuita para o desenvolvimento de aplicações. Este artigo apresenta os passos necessários para o desenvolvimento de uma aplicação que utiliza uma busca por voz, e através dessa busca retorna resultados que serão analisados e uma nova acção será tomada de acordo com essa análise.

Continuar a ler

JSF – Parte 1

O JSF (JavaServer Faces) é uma especificação para criar interfaces gráficas de aplicações web. É um standard do mundo Java EE, atualmente na versão 2.2. A ideia base é, após alguns anos de evolução (esta especificação nasceu em 2004), sistematizar o que as interfaces web têm em comum, apoiando o programador nesse sentido. Com relativa facilidade permite desenvolver interfaces web ricas e interativas (cujas aplicações são denominadas RIA – Rich Internet Application). É server-side e totalmente orientada ao componente: para além de uma série de componentes (abstrações dos componentes HTML), prevê validadores, gestão de estado, conversores, modelo de eventos, etc. Entenda-se por componente (UI) um “pedaço” reutilizável da interface (ex: dropdown box).

Continuar a ler

Tecnologias de Programação de Jogos

Comecei a leitura desde livro com um pé atrás. No índice era mencionado XNA (coisa que a meu ver cria maus hábitos aos iniciantes) e assim um livro que à primeira vista me parecia ser um livro de iniciação rapidamente me surpreendeu pela positiva, não só não era o caso como era um excelente ponto de referência acompanhado de exemplos de várias linguagens e ferramentas mais usadas pela indústria de entretenimento.

Após uma análise atenta, vejo um livro que se destaca pela divisão em três partes de forma a abordar o leitor independentemente da sua formação específica. É um livro que como muitos outros, inicia com uma introdução histórica de referência que tem sempre o seu interesse, um guia organizacional (a meu ver de leitura obrigatória, mesmo para o programador experiente) e uma compilação de tutoriais de introdução às principais técnicas e ferramentas atualmente mais utilizadas na indústria. Com uma estrutura concisa e de fácil leitura, apresenta ainda um sistema de diagramas e pequenos exemplos de código, claros o suficiente para facilmente dispensar o uso da cor sem comprometer a compreensão dos mesmos. Chamou-me em especial à atenção as notas de leitura recomendada no final de cada capítulo, como uma ideia brilhante, dado o quão vasto é o tema de programação de jogos. 

Continuar a ler