Android: Desenvolvimento de Aplicações com Android Studio

Capa do livro Android: Desenvolvimento de Aplicações com Android Studio
Título
Android: Desenvolvimento de Aplicações com Android Studio
Autor(es)
Editora
FCA – Editora de Informática, Lda.
Páginas
304
ISBN
978-972-722-819-5

Introdução

Hoje em dia os dispositivos inteligentes estão cada vez mais enraizados nas nossas vidas. A evolução da tecnologia é cada vez mais crescente e os utilizadores tornaram-se mais exigentes, contactando cada vez mais com estes dispositivos. O Android é um dos sistemas operativos mais utilizados nos dispositivos móveis e foi desenvolvido pela empresa Google.

Este livro que revemos nesta edição é constituído por 11 capítulos e explica como desenvolver aplicações Android usando o Android Studio, sendo o público-alvo os programadores de software.

Conteúdos

O livro começa por apresentar uma breve história e evolução do sistema operativo Android até aos dias de hoje. Por fim, enumera as características da plataforma Android desde a sua arquitectura, a Google Play e o conceito de multiplataforma também detalhado em capítulos posteriores, como por exemplo os relógios inteligentes, Android Wear, TV e automóveis.

O capítulo 2, o autor descreve o que é necessário para começar a construir uma aplicação Android desde a configuração do ambiente de desenvolvimento ao detalhe dos ficheiros constituintes de um projeto Android desde o ficheiro manifesto, localização dos recursos, referência aos mesmos e os ficheiros Gradle.

O capítulo 3 apresenta o ambiente de desenvolvimento de aplicações Android, neste caso o Android Studio. É efectuada uma visita guiada às diferentes janelas e ferramentas que o constituem. Gostaria de chamar à atenção do leitor a algumas como as Janelas de Ferramentas de edição (Código e GUI) e as barras presentes. Por fim são apresentados os emuladores no Android Studio nomeadamente o Android Studio Emulator 2.0 e o Genymotion.

No capítulo 4 são apresentados as principais componentes de uma aplicação Android desde actividades (responsáveis pela interface com o utilizador), serviços (responsáveis pelas operações que executam em background), receptores de broadcast (respondem a eventos da aplicação ou sistema) e fornecedores de conteúdos (armazenam e fornecem dados para a aplicação). Por fim, é efectuada uma visita guiada ao ciclo de vida de uma aplicação Android.

No capítulo 5 dá-se maior enfase à criação de interfaces gráficas e os seus principais componentes desde layouts (LinearLayout, TableLayout entre outros), fragmentos (ciclo de vida e comunicação entre fragmentos) e views. Detalha-se o conceito de View e ViewGroup e os atributos constituintes ao alinhamento de views.

No capítulo 6 é abordado como aplicar efeitos de profundidade, tais como iluminação e sombras, animações, transições responsivas, navegação e respostas ao toque. Este tipo de padrão tenta criar experiências de utilização mais próximas aos objetos reais ao qual se dá o nome de Material Design.

No capítulo 7 o autor destaca a gestão de dados. O Android oferece várias opções para a persistência de dados nomeadamente gravação de ficheiros em memória interna/externa, via preferências partilhadas e bases de dados SQLite. Neste capítulo é abordado como funciona cada uma destas técnicas.

O capítulo 8 descreve como aplicar boas práticas no desenvolvimento para reprodução e gravação de vídeos e áudio, captura de imagens e sua manipulação com base em novas classes multimédia disponibilizadas pelo SDK do Android. Destaco algumas dessas classes como: VideoView, MediaController, MediaPlayer, entre outras.

No capítulo 9, o tema abordado é o Networking. Como é habitual noutras aplicações, hoje em dia a comunicação com serviços externos é cada vez mais usual, e no Android não é excepção. O leitor irá aprender boas práticas na codificação de aplicações que operam na rede. É dado a conhecer os recursos disponíveis para gerir dados na web, desde intents (para visualização de páginas web) ou com base no uso do widget WebView e manipulação de HTML através da biblioteca Jsoup. Outros aspectos abordados são como gerir pedidos HTTP usando o HTTPUrlConnection e OkHttp e através de bibliotecas como o Volley e Picasso. Por fim, será mostrado como integrar com web services destacando o uso da API do Facebook para Android.

O capítulo 10 é respeitante a mapas e localização. Neste capítulo é descrito o Google Play Services (internamente denominado por Google Mobile ServicesGMS) como a biblioteca de serviços do Android. Esta biblioteca integra com várias API’s destacando-se a API Maps (para gestão de mapas as aplicações baseado em Google Maps) e Location (para obtenção periódica da localização).

Por fim, no último capítulo o leitor adquire conhecimento no Android Wear, uma versão de sistema operativo Android projectado para smartwatches e outros wearables. É abordado como desenvolver aplicações para o Android Wear com base em dois exemplos de aplicações: Uma aplicação que ensina a criar aplicações básicas para a plataforma Wear e outra que explica o processo de emparelhamento de um dispositivo wearable com um telefone, sendo abordado o sistema de notificações entre dispositivos.

Conclusão

Um bom livro da série de livros sobre desenvolvimento para a plataforma Android, do autor Ricardo Queirós com foco na plataforma Android Studio. Uma leitura muito agradável mas mais adequada para quem já tem conhecimentos sólidos de programação orientada a objectos.

Este livro torna-se também um bom complemento para quem já leu o livro “Android – Introdução ao Desenvolvimento de Aplicações”, do mesmo autor, ou para quem deseja iniciar-se no desenvolvimento Android usando como IDE o Android Studio e já tem conhecimento base sólidos sobre esta tecnologia.

Publicado na edição 53 (PDF) da Revista PROGRAMAR.