Business Intelligence no SQL Server

Capa do livro Business Intelligence no SQL Server
Título
Business Intelligence no SQL Server
Autor(es)
Editora
FCA – Editora de Informática, Lda.
Páginas
208
ISBN
978-972-722-869-0

Nesta edição trazemos até vós, caros leitores, a review acerca do novo livro da FCA do autor Alberto Magalhães – Business Intelligence no SQL Server.

Na sua essência as bases de dados são simplesmente contentores de informação. Quando um determinado sistema permanece durante anos sem grandes alterações, todos nós sabemos que acrescentar mais uma feature ou outra facilmente implica quase sempre a adição de mais uma tabelinha para facilmente termos dados “à mão”, tornando-se mais uns “pontos” para o “contentor” guardar. E hoje em dia é cada vez mais importante usarmos os dados que armazenamos na BD para tomar decisões acerca dos caminhos a seguir e a implementar. Seja a nível de negócio, seja a nível de vida útil do próprio sistema.

Este é um livro indicado principalmente para os leitores que queiram dar os primeiros passos em BI mas também pode ser um apoio útil para quem já tem mais experiência neste campo e pretende alargar conhecimentos.

A obra está dividida em cinco grandes capítulos, que fluem entre si não tornando a leitura deste livro tecnicamente pesada.

No primeiro capítulo – Data Warehouse – encontramos uma explicação teórica sobre o tema. DW consiste em integrar, de forma consolidada, os dados de uma organização num só ponto, e, assim, fornecer dados atualizados aos decisores das empresas. E é este o mote principal a que o autor se propõe neste livro. É abordada a arquitectura de um DW, com maior incidência na arquitectura de Kimball e na arquitectura de Inmon. Neste primeiro capítulo gostaria de chamar à atenção para o ponto em que o autor compara concretamente estas duas arquitecturas DW, para que este tema seja facilmente absorvido pelos leitores menos experientes de forma a poderem tirar um maior partido do livro. Neste capítulo são ainda referenciados modelos de dados nomeadamente o esquema em estrela e o esquema em floco de neve, assim como as diferenças entre eles.

O segundo capítulo – Analysis Services – apresenta-nos a explicação teórica do tema mas passa já a ser um capítulo mais técnico onde o autor nos guia pelas ferramentas disponíveis para o desenvolvimento e suporte das aplicações business intelligence: o SQL Service Reporting Services, o SQL Server Integration Services e o SQL Server Analysis Services. É apresentada uma pequena introdução às bases de dados OLAP, isto é, Online Analytical Processing. Nesta capítulo o autor demonstra ainda como criar a fonte de dados e quais os passos para a visualização da mesma. É ainda abordado como criar as dimensões e o “cubo”.

Sendo este último constituído pelas dimensões e pelas métricas, julgo que este é um capítulo bastante importante para os menos experientes, pois este passo-a-passo ajuda na compreensão e consolidação da temática, uma vez que é através destes conhecimentos que conseguiremos dar “corpo” aos nossos dados.

No terceiro capítulo – Análises de Dados – Alberto Magalhães leva-nos por alguns exemplos de pesquisa pelos modelos anteriormente implementados. Uma das ferramentas externas abordadas é o famoso Excel, onde facilmente obtemos gráficos dos dados que consideramos sensíveis. Neste capítulo gostaria de destacar os sub-temas Importar dados para uma tabela dinâmica do Excel, Importar dados para um relatório Power View e Explorar dados com o SQL Server Management Studio. É importante referir também que é neste capítulo que o autor aborda a Análise de Dados em Power BI Desktop – uma ferramenta de negócios da Microsoft que permitem facilmente a criação de relatórios e dashboards sem que sejam necessários conhecimentos técnicos extensos.

No quarto capítulo – Integration Services – é-nos apresentada esta plataforma de extração, transformação e carregamento de dados. Como não podia deixar de ser, este é dos capítulos mais técnicos deste livro, contudo a leitura não é pesada e flui facilmente, permitindo ao leitor criar o seu próprio projeto seguindo as indicações passo-a-passo. São também abordados os componentes de Control Flow e Data Flow, assim como os event handlers. Recomenda- se uma leitura atenta a este capítulo de forma a compreender as práticas da gestão de pacotes do SQL Server Integration Services.

Por fim entramos no quinto capítulo – Reporting Services. Aqui é-nos apresentada com mais pormenor esta ferramenta empresarial do SQL Server. É explicado como criar e gerar relatórios que possam ser uma mais valia para o nosso modelo de negócios de forma a facilitar a tomada de decisões. Neste capítulo gostaria de destacar a criação de um relatório simples, assim como a abordagem ao Tablix (conjugação de tabela, matrix e lista), assim como a abordagem à região de dados Gauge onde podemos facilmente obter os KPI – Key Performance Indicators (que medem o desempenho de um processo).

Em suma, este é um livro que creio que seja uma mais valia na biblioteca pessoal de cada um, quer sejamos estreantes nestas andanças ou não, uma vez que apesar de iniciar com uma abordagem mais leve e teórica nos capítulos iniciais, o quarto e quinto capítulo, entram já num “mundo mais técnico” que vale a pena ler e reler. Boa leitura!