Conectando os pontos

Eis que chegamos à quinquagésima edição da Revista PROGRAMAR. Cinquenta edições, de muito trabalho, muito esforço, muita dedicação e uma história que já se escreve ao longo de nove anos, mais de uma centena de autores, arrisco dizer milhares de litros de café, uma imensidão de linhas de código, de desafios, de esforços de problemas e soluções.

Até aqui, passaram cinquenta edições da revista, passaram nove anos, a tecnologia reinventou-se sucessivamente! Nestes nove anos, cinquenta edições apareceram dispositivos que revolucionaram a maneira como lemos, agora nos tão habituais tablets, que em 2009 viram a sua popularidade entrar num ritmo desenfreado e de certa forma massificaram a leitura em formato digital, num tamanho de ecrã mais “confortável”. Foram criadas novas linguagens de programação, novas ferramentas, novos IDE’s, várias versões de sistemas operativos, acompanhamos os “pequenos” tornarem-se “grandes” como o já muitas vezes falado Raspberry Pi, que tem vindo a tornar-se mais popular.

Fugindo à tentação das frases feitas, esta edição foi propositadamente lançada no ducentésimo quinquagésimo sexto dia do ano, o dia do programador. Assim escolhido por como todos sabemos 255 ser 28 , o maior número inteiro representável com 8 bits, oito pequenos zeros e uns, que são os “blocos de construção” de todo um mundo, escrito pedaço a pedaço, bit a bit, por todos quantos programam. Os que constroem o mundo de bits e bytes, que nos rodeia a todos e que por todos é construído, bit a bit, linha a linha, a “brincar às escondidas com o ponto e virgula (;), o mestre do “jogo do esconde”, desde 1972”, de tantas vezes que consome horas à procura da linha onde por algum acaso falhou ao digitar o ponto e vírgula cuja falta provoca um erro.

Nesta edição não poderia deixar de dar os parabéns a todos aqueles que lêem a revista, a todos aqueles que nela participam, mas também e com entusiasmo, a todos aqueles que programam! Esta é a quinquagésima edição, mas hoje, estamos todos de parabéns pois é dia do Programador! Daquele para quem todos nós que tornarmos esta revista realidade, nos esforçamos! A nós, pois de uma forma ou de outra todos somos programadores e aos leitores da revista! Programadores, futuros programadores, mestres e aprendizes, entusiastas e menos entusiasmados! A todos os que lêem a revista, e quando a lerem mesmo depois do 256 dia do ano, se vão rir ao ler este editorial e perceber que desta vez, não foi um atraso na publicação, não foi um “packet-loss”, foi antes uma “brincadeira” de programador e uma forma “talvez original” de festejar o dia do programador, com todos aqueles que lêem a revista, que programam, que se dedicam a esta magia, que é PROGRAMAR.

Até à próxima, agradeço-vos a todos por lerem a revista, que esta pequena- grande equipe vos traz.

António Santos

Publicado na edição 50 (PDF) da Revista PROGRAMAR.