O que existe do lado de lá da montanha?

O que existe do lado de lá da montanha? É a pergunta que muitas vezes nos fazemos, referindo-nos “à montanha de trabalho que temos para fazer”, ao “montanhoso problema que não se quer resolver”, ao “íngreme bug, que teima em não identificar onde se encontra”, “à barreira e velocidade imposta pelo hardware”, etc…

O que existe do lado de lá dessa montanha, é simples de saber, basta “escalá-la” para descobrir! Sem nunca desistir! Recordo-me com nostalgia do tempo em que se dizia que a “mítica barreira” dos 100mhz não iria ser ultrapassada! Mas foi! Recordo-me como muitos de vós recordarão das promessas e especulações em torno da tecnologia MMX, que acabaram revelando-se na sua maioria infundadas, e infrutíferas, pois a “montanha” parecia ser muito alta, mas na realidade pouco mais era que um “montinho”.

Hoje em dia ao ler código, ao ler um qualquer artigo, ao programar, penso, “quantas linhas teria eu escrito em C ou Assembly para conseguir fazer algo como isto… E quantas linhas escrevi agora! A “montanha” deixou de ser “inescalável”.

Ainda agora por vezes me deparo, como certamente a maioria dos leitores se depara com “aquele problema chato” que não parece ter solução, ou aquele erro, que já me fez olhar para o código “duzentas vezes” sem ver onde estará ele… Para agora descobrir que afinal é uma vírgula ou uma aspa que me esqueci. Esse “detalhe” que quase nos faz desesperar, que nos leva a pensar em desistir, e que no fim, depois de o resolvermos, descobrimos a alegria de o ter superado! Essa superação será para os programadores “o outro lado da montanha”.

É esse alento, essa determinação de “superar mais uma montanha” que move muitos dos programadores, se não “a maioria”. Essa vontade de “vencer” que começa a crescer e nos ajuda a fazer “dos grandes problemas” pequenos problemas, da grande complexidade, pequenos “detalhes” e no fim da “jornada”, nos faz acreditar que todo o esforço, feito, valeu a pena, pois se não o fizéssemos, nunca saberíamos o que existe “para lá da montanha”.

Na Revista, edição após edição uma “nova montanha” se ergue, e edição após edição descobrimos, com a preciosa ajuda dos nossos leitores, o que existe “do lado de lá da montanha”.

E agora que lançamos esta edição, preparamo-nos para vencer “a montanha que se segue”, como equipa, todos juntos, de nós, para vós! Na certeza que que daremos o nosso melhor por uma edição ainda melhor! De nós, para vós! Por todos nós! Até lá!

António Santos

Publicado na edição 37 (PDF) da Revista PROGRAMAR.