Raspberry Pi2 – Evolução ou Revolução?

Há poucas semanas foi anunciado o novo Raspberry Pi2. Foi colocado à venda ao público e em poucos dias estava esgotado, aliás na altura em que escrevo este artigo, as lojas da especialidade continuam com o pequeno Pi2 fora de stock.

Eu própria não fui a tempo da loucura que envolveu o novo lançamento, as lojas da especialidade que procurei online todas me diziam que estavam sem stock. Com um pouco de sorte, e com o dedo de um amigo meu à mistura, o qual aproveito desde já para deixar um agradecimento pessoal (Miguel Conceição, sem ti, este artigo não teria o campo experimental que teve), eis que me chegou o Raspberry Pi2 às mãos.

Raspberry Pi 2

Ainda sem falarmos em especificações e características deste novo modelo, o que me chamou mais a atenção foi o facto do novo Pi2 vir mais “arrumadinho”. Para os leitores que não têm bem presente a imagem do Raspberry Pi Modelo B, aqui deixo uma imagem dos dois lado a lado.

Raspberry Pi: 1 vs 2

Aquelas entradas amarela e azul, saíram. Deixamos de ter entradas de todos os lados do Pi, para no Pi2 termos tudo mais arrumadinho, mais sóbrio. Digamos que é como se o nosso Pi tivesse deixado a fervura da adolescência para entrarmos no mundo mais sério.

Mais sóbrio, mais arrumado, mais robusto. A própria caixa vem já com aberturas a pensar nos acessórios como a camera por exemplo.

Se podemos dizer que o Raspberry Pi B+ ficou um pouco aquém das expectativas, a verdade é que o Pi2 pode ser uma agradável surpresa. Não que seja um supra sumo da sua classe, porque não o é. A HummingBoard que falamos no último artigo sobre o Pi continua a ter um desempenho superior. 

Mas tendo em conta que a nova versão deste pequeno computador vem ao mesmo preço da versão anterior, posso dizer-lhe caro leitor, que é uma agradável surpresa. 

Como seria de esperar, o Pi2 é em tudo compatível com as versões anteriores, como pode ser visível pela fotografia em que ambas as versões estão lado a lado, a saída de vídeo RCA deixou de existir da mesma forma na nova versão, assim como a porta de áudio, sendo que fica apenas a entrada HDMI

Até ai tudo bem, pois quando o usamos como centro multimédia em casa, queremos é dar uso ao HDMI, eu pelo menos.  A verdade é que o BluRay não era suportado em condições plenas nas versões anteriores, o Pi2 veio dar uma nova luz aos amantes do Pi como centro multimédia. 

Outra das novidades é que a nova versão mantém as quatro portas USB já presentes no B+. O que é óptimo porque depois de ligar o rato e o teclado via USB, eu ficava sempre a precisar de mais portas na primeira versão.

Algo muito interessante neste novo modelo, é que na porta RJ45 já estão as luzes in e out, convencionais dos computadores, o que torna tudo mais simples na altura de verificarmos se há de facto actividade na porta. 

Não cheguei a adquirir o modelo B+, tinha apenas o modelo B e agora passei a ter também o Pi2. Talvez por isso ache as diferenças mais acentuadas entre os dois. E talvez por isso me tenha agradado tanto o Pi2

Aos leitores que não se recordam, o Pi1 tinha as luzes de actividade todas juntas, na própria placa, o que se tivéssemos o mini computador dentro de uma caixa que não fosse transparente, não nos permitia facilmente verificar as luzes emitidas. Agora mesmo que tenhamos o Pi2 numa caixa, facilmente vemos a actividade da RJ45, assim como a luz vermelha da corrente, ou a luz verde da actividade do CPU (estas duas últimas encontram-se lado a lado na lateral do Pi2).

Outra diferença notória é o facto de que esta nova versão não aquece tanto de facto. Numa utilização mais demorada, isso é um facto que salta à vista, ou “à mão”, pois o mini computador já não está tão quente quando lhe pegamos. À semelhança do B+, o Pi2 consome de facto menos energia. O Pi1 utilizava um cartão SD, sendo que este utiliza um cartão micro SD, (que fica bem arrumadinho dentro da caixa sem sobressair para fora como na primeira versão).

Só por estas alterações, eu teria ficado satisfeita com a nova aquisição. A pequena placa, está de facto mais parecida com o computador convencional que conhecemos. Mas há mais ainda.

Permita-me, caro leitor, voltar um pouco atrás e falar-lhe sobre as especificações desta nova versão.

O Raspberry Pi2 é a segunda geração do Raspberry Pi, portanto tem tudo o que a versão anterior tinha e mais:

  • 900MHz quad-core ARM Cortex-A7 CPU
  • 1GB RAM
  • 4 USB ports
  • 40 GPIO pins
  • Full HDMI port
  • Ethernet port
  • Camera interface (CSI)
  • Display interface (DSI)
  • Micro SD card slot

A memória passou a ser de 1GB (contra 512MB da versão anterior), passamos a ter um CPU bastante mais potente visto que a versão inicial era um CPU 700 MHz single-core ARMv6.