try: keepUpWork: Except Error: print ”again” break

Tentamos… Ousamos falhar, tentamos de novo… E no final do dia, tentamos outra vez!

Esta semana vi um cartoon engraçado sobre o desenvolvimento de aplicações open-source! Achei particularmente caricato, pelas semelhanças do cartoon com esta nossa e vossa revista. Vou tentar “codificar” o cartoon em palavras, apesar do sucesso ser pouco provável! No cartoon aparecia como título: “O que as pessoas pensam sobre como as aplicações open-source são feitas” e tinha vários grupos de pessoas, a trabalharem simultaneamente em ideias a construir algo, a testar a construir, a idealizar… E abaixo tinha uma segunda quadrícula intitulada “O que realmente acontece”, onde se via um sujeito solitário, com aspecto de cansado com o balão de fala onde se lia “let me just close one more ticket before sleep”, e via-se no fundo um relógio onde as horas marcavam perto de 2h da manhã. Era mais ou menos isto. Recomendo verem a imagem original na web, pois é bem mais ilustrativa e engraçada.

De facto tantos projectos são começados por um monte de gente e mantidos por um “idealista” que fica acordado todas as noites até altas horas, apenas para manter o projecto vivo. De certa forma com este projecto que é a revista, é exactamente isso que acontece! As pessoas pensam algo, mas a realidade é “ligeiramente” diferente! Caricata coincidência!

Cada noite passada a programar faz-me pensar na nostalgia de outros tempos em que programar era mais desafio que trabalho, era mais prazer que ocupação, era mais paixão que dever… Era como escrever num newsgroup a resposta a algo, ou partilhar aquela “coisa que a gente tinha acabado de fazer”, apesar das horas já irem bem avançadas e o dia já se fizesse notar, por entre as janelas fechadas.

Toda esta nostalgia me fez lembrar o gosto que pessoalmente tenho em editar esta revista. As horas que ela consome a todos nós que a fazemos e o gosto que temos em fazê-lo. As vezes que pensamos que “não vamos conseguir”, mas continuamos em frente e almejamos mais! Porque na realidade somos programadores! Isso de alguma forma está “no nosso ADN”.

Por todas estas razões, pela nostalgia e o gosto de trabalhar nesta edição prometemos continuar o trabalho, aprendendo, superando, tentando de novo!

“Porque nós, programadores, somos “gente de ideias”, e não desistimos!

Por isso e por muito mais… Programar… ontem, hoje e amanhã!

Até à próxima edição.
António Santos

Publicado na edição 45 (PDF) da Revista PROGRAMAR.