Vulnerabilidades Web em 2017

Foi registado um número recorde de vulnerabilidades em 2017 nas aplicações web, incluindo categorias bem conhecidas, como XSS, mas também novas categorias, como desserialização insegura. O número de vulnerabilidades na IoT também cresceu descontroladamente e com um impacto extremamente severo. Também o PHP e o WordPress continuam de mãos dadas no que toca a vulnerabilidades em CMS e server-side. Por fim, uma vulnerabilidade de dia zero (zero day vulnerability) afetou o Apache Struts e que contou com uma das maiores violações de segurança do ano.

Vulnerabilidades Web 2016-2017

A seguinte imagem mostra o crescimento das vulnerabilidades web na forma mensal, entre o ano de 2016 e 2017. É possível observar um crescimento em 2017 (14 082), nomeadamente 212%, relativamente ao ano de 2016 (6 615). Estima- se ainda que, mais de 50% das vulnerabilidades possuem um exploit público para a sua exploração por parte de indivíduos mal intencionados. Além disso, mais de um terço (30%) não possuem uma resolução imediata, como por exemplo, uma actualização ou um remendo de software. Como é previsível, a injecção de código mantém-se no top de vulnerabilidades.

[...]

Leia o artigo completo na edição 59 da Revista PROGRAMAR