Arquivo da Categoria: Colunas

Artigos da secção “Colunas”.

O silêncio e os interrupts

Ainda que possa parecer o título de um “filme de tercei- ra categoria”, qualquer semelhança é apenas mera coincidência fruto de um qualquer infortúnio das palavras! Passando as brincadeiras, e mudando para o verdadeiro assunto do artigo, todos ouvimos falar de interrupts (sinal emitido pelo hardware ou software enviado ao processador, indicando que um evento necessita de atenção imediata), para os mais “vintage” da tecnologia que passaram pelos “tormentos” de configurar os interrupts nas BIOS cada vez que se acrescentava uma placa num PC, o conceito será certamente mais familiar, mas não se trata de interrupts de hardware ou software que escrevo! Trata-se antes das “interrupções” no trabalho de um programador e na relação das interrupções com a produtividade.

Continuar a ler

O papel do profissional de Marketing & Comunicação no sector das TIs em Portugal

No 29º Encontro das Geek Girls Portugal, lançaram-me o desafio de “transformar” a apresentação e escrever um artigo para a Programar, o que me traz hoje até vos, caros leitores.

Gostaria de vos apresentar e sensibilizar para debater alguns pontos sobre o contributo de um profissional de Marketing & Comunicação no sector das TIs. Ao longo deste artigo foco-me em alguns pontos debatidos ao longo do encontro, que se destinou essencialmente aos profissionais de Marketing que estejam a abraçar o desafio de desenvolver um gabinete de Marketing & Comunicação numa empresa do sector das TIs. De acordo com a minha experiência pessoal e profissional, deverão ter em mente os seguintes aspectos:

Continuar a ler

Cross-Platform – “A soma de todas as mudanças”

Cada vez mais ouvimos falar em cross-platform! Não é algo novo, é algo já antigo em verdade se diga! Se nos referirmos ao cross-platform como a capacidade de compilar e correr o mesmo código em múltiplas plataformas de hardware poderemos recuar tanto quanto a criação da linguagem C, por Dennis Ritchie e Ken Thompson em 1972, quando trabalhavam nos Bell Labs. De forma brilhante, estes senhores decidiram escrever uma linguagem que permitisse compilar o código e executá-lo independentemente do hardware. Inicialmente era um DEC PDP-7, posteriormente um DEC PDP-11, tendo a linguagem sido utilizada para escrever maior parte do kernel do sistema operativo UNIX.

Continuar a ler

As novidades do C# 6

Com o recente lançamento do Visual Studio 2015, foi lançada a versão 6 da linguagem de programação para a plataforma .NET C#.

Como neste lançamento o enfoque principal foi na nova plataforma de compiladores (“Roslyn”), os melhoramentos e adições à linguagem foram escassos mas, tal como os melhoramentos e adições das versões anteriores, tornarão a vida de quem desenvolve usando a linguagem de programação C# muito melhor.

Continuar a ler

Async-Await – A alegoria do restaurante

Introdução

Com a introdução de capacidades assíncronas nas linguagens de programação C# e Visual Basic todas as APIs assíncronas tendem a seguir este padrão.

No entanto, muitos programadores não entendem ainda como lidar com esta nova realidade.

Este artigo não pretende explicar como funciona esta funcionalidade, mas apresentar uma alegoria que permite formar um modelo mental de como se deve funcionar com esta tecnologia.

Continuar a ler

Ensino Delta Empresa

A distância entre ensino e indústria é um tema real que merece atenção constante por parte da nossa sociedade. Assistimos recentemente no nosso país a um ajustamento forçado, mas necessário, do número de vagas do ensino superior em relação às necessidades empresariais do país. Neste ajustamento a área de tecnologia terá sido das menos afetadas, no entanto esse facto não garante que os recém licenciados venham preparados para aquilo que são as reais necessidades das empresas.

Continuar a ler

C# – Novas Funcionalidades do C# 6.0 – Antevisão de Abril de 2014

Introdução

No passado evento //Build/, a Microsoft disponibilizou uma versão de antevisão da versão 6.0 da linguagem de programação C#.

Trata-se de uma versão preliminar, pelo que algumas funcionalidades poderão sofre alterações, não fazer parte da versão final ou novas funcionalidades poderão ainda ser adicionadas.

Esta nova versão da linguagem inaugura também uma nova postura da Microsoft no que diz respeito ao código aberto e participação da comunidade.

Continuar a ler

Métodos de extensão – o que preciso, como quero

O que preciso, como quero… mais ou menos. Mais para mais. Comecemos por o básico: o que são métodos de extensão? Em poucas palavras, métodos de extensão são uma forma de injetar funcionalidades escritas por “nós”, personalizadas, diretamente em tipos que tomamos como “fechados”, quer sejam os escritos por a Microsoft ou os escritos por o vizinho de cima. Quando escrevo “injetar funcionalidades” estou-me a referir a métodos implementados por nós que para o Visual Studio fazem parte de determinada classe, e que podem ser chamados a partir de uma instância.

Continuar a ler

Programador ^ Gestor

Uma evolução típica na carreira de programador é chegar a gestor. O PM, a carinhosa abreviatura de Project Manager, é muitas vezes alguém que chega à gestão de projeto tendo feito um percurso técnico e, tantas vezes, sem formação em gestão.

O facto de se ser um bom programador não habilita ninguém a ser um bom gestor de equipa ou de projeto na área das tecnologias de informação. Infelizmente, é comum promover os melhores engenheiros de software a gestores menos capazes.

Continuar a ler