Arquivo de etiquetas: html

HTML 5 – 4a Edição Atualizada e Aumentada

Nesta edição, trazemos até vós, caros leitores, a review do livro HTML5 de Luís Abreu. Trata-se da 4ª edição atualizada e aumentada.

Dirigido a todos os programadores, estudantes e profissionais da informática, este livro é acessível a todos os entusiastas que queiram aprender e/ou aprofundar conhecimentos acerca do “novo” HTML5. Tal como o autor nos tem vindo a habituar, este livro tem uma linguagem simples, clara e acessível, sendo fácil seguir os exemplos que nos vão sendo propostos ao longo desta edição.

Continuar a ler

Validação de formulários em JavaScript

Âmbito

Atualmente, a validação de formulários em JavaScript é muito utilizada para garantir que os dados solicitados nos campos que o utilizador preenche em qualquer site sejam fiéis ao que o programador deseja. A validação de dados por meio de programação JavaScript é feita no browser (sem necessidade de ir até o servidor para transmitir dados) e garante a consistência dos dados quando são enviados para a base de dados.

A validação no cliente é necessária em várias situações: quando, por exemplo, o utilizador não preencheu corretamente o seu e-mail e colocou 2 invés de @. Se esta validação for no cliente, o utilizador recebe a mensagem de e-mail inválido antes do formulário ser enviado. A validação no cliente melhora a interação do utilizador com o site, mas é claro, que as validações no servidor também devem ser feitas.

Continuar a ler

Sencha Touch – Parte I

Actualmente, como todos nós sabemos, o universo dos smartphones e das aplicações móveis vieram para ficar. O mercado das apps está em constante evolução e todos os dias aumenta o seu número nas diversas stores existentes. O problema existente é que cada fabricante obriga a uma linguagem de programação. Se queremos desenvolver uma aplicação para iOS, temos que programar em Objective-C, para Android, em Java, e Windows Phone somos obrigados a usar o C#, por exemplo. Ora, programar em todas estas linguagens é bastante complicado.

A solução para esta questão passa pela utilização de uma framework híbrida. Este tipo de frameworks permitem ao programador desenvolver uma aplicação em HTML5 e Javascript capaz de ser executada em qualquer sistema operativo móvel com o look and feel de uma aplicação nativa.

Exemplo deste tipo de frameworks é o Sencha Touch. Com esta framework é tão simples desenvolver uma aplicação com um design atrativo e cross-plataform. É importante referir que esta framework é totalmente gratuita e open-source.

Continuar a ler

Criando extensões para Google Chrome

Google ChromeAtualmente o browser do nosso computador é um dos softwares mais utilizados diariamente, adicionalmente, temos inúmeros plugins que acrescentam funcionalidades extra. Um plugin é um pequeno software desenvolvido para adicionar funcionalidades extra a softwares maiores, como o exemplo dos browsers que utilizamos. Os plugins podem-nos ajudar a automatizar pequenas tarefas no dia-a-dia ou até melhorar a nossa experiência enquanto utilizadores da web.

Neste artigo que vos trago hoje, vou explicar como podemos desenvolver o nosso próprio plugin para o Google Chrome.

Continuar a ler

HTML 5

A primeira coisa que notei, mesmo antes de receber este livro, foi que não podia ser muito aprofundado: se cabia na caixa do correio, não era tão grosso quanto o habitual em livros técnicos. Fisicamente, é o normal para livros de capa mole, à excepção das páginas, que me pareceram de melhor qualidade do que o habitual. A tipografia é excelente para um livro que se proponha ser de referência: 40 linhas por página, 70 a 80 caracteres por linha, fonte com serifas leves.

Ainda antes de sair da introdução, uma das pequenas idiossincrasias deste livro já me estava a incomodar; eu percebo que o tamanho dos endereços bit.ly seja convidativo à poupança de caracteres, até entendo a racionalização que poderia ser feita quanto à quantidade de caracteres a copiar pelos leitores, mas, pessoalmente, apresentam dois defeitos inultrapassáveis: é impossível alguém decorar sequências de 6 caracteres aleatórios de relance, obrigando a copiar os endereços com uma mão no livro, outra no teclado, e impede que se reconheça um eventual endereço que já conheçamos. Várias vezes copiei laboriosamente os links para ir dar a páginas que já conhecia.

Depois de relegar esta irritação para o fundo do consciente, o resto do livro foi uma viagem relativamente suave. O estilo de escrita de Luís Abreu é extremamente acessível e percebe- se que, não só sabe perfeitamente do que está a falar, como, tirando uma ou outra excepção, também sabe como o explicar. As caixas de realce são agradavelmente relevantes e pertinentes. Os exemplos de código são de boa qualidade, se bem que preferiria um maior rigor nas boas práticas em Javascript.

Continuar a ler